Solenidade da Mãe de Deus 2019

facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

 

PROTEJA SUA HISTÓRIA

Maria guardou todas estas coisas, meditando-as no seu coração (Lc 2,19).

Talvez tenha acontecido também a você de conservar  no coração palavras misteriosas que escutou, eventos pouco claros, encontros inesquecíveis, memórias vivas que produziram novos sentidos, geraram novas percepções e passos inéditos. Tecer os vários fragmentos da vida com o fio da memória significa permitir ao Mistério revelar o sentido e a direção do caminho.

Apenas no início de um novo ano, a vida lhe oferece uma feliz aventura! Mas ela não lhe deixa sozinho, confia-lhe uma companheira de viagem: seu nome é Maria de Nazaré. O Evangelista Lucas apresenta-a como mestra da escuta e da memória que não deixa cair o tempo no esquecimento. Uma mulher que a meditação constante das Sagradas Escrituras, torna-a capaz de conservar cada fragmento da própria história e de perceber nela os caminhos de Deus. Justamente pela sua atividade contemplativa (cf. Lc 2, 19. 51), Maria assume um novo nome: a symballousa. O verbo symballo (formado por syn = com, e ballo = arremessar, lançar) significa unir, fazer convergir, aproximar partes distantes, separadas, coisas diferentes. Maria, portanto, “faz unidade” entre os fragmentos da experiência, entre coisas diferentes, e nos ensina que para compreender a própria identidade, a própria vocação, torna-se indispensável colocar e amalgamar os opostos da vida no fogo da Palavra. Somente à luz da Palavra meditada e conservada no coração, as contradições adquirem significado. Então, o que está esperando?

Mergulhe no profundo de seu coração, sem medo. Maria o conduz, lentamente, no silêncio da oração a ouvir a voz das Escrituras e reunir na Palavra os fragmentos de sua vida espalhados ao longo do tempo, como pérolas preciosas de um único colar!

Ecos dos Salmos

Uma canção na noite volta ao meu coração:
Eu a medito e meu espírito indaga.
Lembro-me das obras do Senhor,
Sim, lembro-me das maravilhas de outrora
(Sl 77, 7.12).

Francesca Pratillo, fsp

Allegati