2º domingo da Quaresma 2019

facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

 

Gn 15.5-12.17-18; Sl 26; Fil 3,17 – 4,1; Lc 9: 28-36

 Estar com ele

Lemos sempre esta página do Evangelho na perspectiva de uma antecipação visível da glória da ressurreição. Desta vez, gostaria de sublinhar um particular que, em geral, não percebemos: a oração. É um dos pilares em que se apoia o caminho da Quaresma.

Lucas coloca a transfiguração de Jesus após a profissão de fé de Pedro e da proposta radical e exigente do seguimento: “Quem quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, carregue cada dia a sua cruz e siga-me” (Lc 9, 23). Chegamos à glória depois de percorrer o mesmo caminho de Jesus na doação de si no amor. Seria mais fácil, diante dessa difícil proposta, dar de ombros e dizer: “É impossível!”

Jesus leva com ele a um monte três de seus discípulos para orar, porque a oração ajuda a compreender melhor a vontade de Deus, a abrir o coração para acolhê-la e a encontrar o significado da vida e das escolhas.

A oração transforma e transfigura. Transforma o coração, a maneira de ver as coisas, a vida; ajuda-nos a colocar Deus em todos os átimos do tempo, nos gestos da vida cotidiana, nas palavras essenciais, nas mãos vazias, mas que sabem ser generosas na hospitalidade. A oração nos transfigura porque nos torna como Aquele que nos ama com amor infinito e independentemente de quem somos, ele coloca toda a sua confiança em nós, mostra-nos a beleza de estar com ele.

A oração ajuda a transformar-nos e a transfigurar-nos; é o doce canal que nos leva a estar com Deus, a ver seus olhos cheios de luz, e a nos mostrar o coração de Deus, vendo-nos dentro dele, como um precioso tesouro, seguro e protegido. Então entendemos que outros poderão tirar-nos a vida e as coisas, mas nunca serão capazes de tirar-nos do coração de Deus.

Salmo 26

O Senhor é minha luz e minha salvação: de quem temerei?
O Senhor é a fortaleza de minha vida: de quem terei medo?
Escuta a minha voz, Senhor, pois clamo: tenha misericórdia de mim e, responde-me!
Meu coração refletiu sobre ti: “Procurai minha face!”
É tua face, Senhor, que eu procuro.
Não escondas tua face de mim
não afastes teu servo na ira!
És meu auxilio; não me deixes e
não me abandones, ó Deus da minha salvação!
Por certo, acredito, ao ver a bondade do Senhor na terra dos vivos.
Espera no Senhor!
Sê forte, fortaleça teu coração e espera no Senhor.

Pe. Giovanni Di Vitopároco dos Santos Erasmo e Martinho, Bojano (CB)


Allegati